Escolha uma Página

Na BlizzCon de 2018, o abençoado time de desenvolvimento do jogos clássicos da Blizzard anunciou aquilo que é e será o ressuscitamento do mais lendário RTS já feito, Warcraft III: Reforged. Desde este dia, as informações que recebemos da Blizzard sobre isso têm sido.. Bem… Nada… Então o que nos falta é esperar e comentar no que vem por aí.

MORRENDO DE VONTADE

Tendo o coração dividido em Brood Wars e The Reign of Chaos, aqueles que são meus parentes no mundo RTS eu diria que identifico uma deficiência degenerativa globalmente conhecida como Hype Pneumático Crônico.

Para que eu possa ser melhor entendido ao citar essa doença, eu deixarei um camarada jogador de Warcraft III dos fórum oficiais falar por mim, ele que trás uma visão clara, fiel e honesta quanto a situação da comunidade, na relação público-empresa, em termos do lançamento do Warcraft Reforged:

Sem notícias por 7* meses nos transformou em bestas vorazes e famintas.
Reduzidos aos nossos instintos mais básicos, os forums agora são uma sombria terra de comer ou ser comido ( ͡° ͜ʖ ͡°).
A selvageria encontrou você mais cedo, e levou a todos vocês uma terrível vingança pela fantástica invasão. Eu acho que esta informação seca têm sussurrado a você coisas sobre si mesmo que você não sabia, coisas que você não tinha concepção até que você tomou ciência com essa grande solicitude — e o sussurro se provou estar irresistivelmente fornicando o horror ( ͡◉ ͜ʖ ͡◉). 

Sem dúvida uma imparcial lúcida análise sobre o estado do público de Warcraft III. Entretanto há esperança! O remédio, paliativo é claro, para esse sofrível sentimento degenerativo se trata de vir a internet, e passar a doença adiante por fazer outros seres humanos tomar parte no hype. Portanto não me resta outra solução, além de falar comentar sobre essa reforjagem!

JE SUIS REFORGED

Muitos hereges tratam o Reforged como se fosse meramente um remaster, ou seja, a Blizzard esta só dando uma faxina no visual—colocando uma ou outra feature—e pronto Warcraft: Reformasteged!

Em primeiro lugar, se isto fosse um Remaster se chamaria Warcraft III: Remaster, correto? Contudo o público não diferencia muito os dois conceitos.

Segundo o site priberam.org – o maior dicionário online de Portugal -: re·mas·te·ri·zar significa produzir novo máster ou nova matriz de áudio ou de vídeo, com alterações ou com melhoria da qualidade.

Um grande exemplo de um remaster é, bem… StarCraft: Remastered! Em que o jogo recebeu atualização gráfica novas funcionalidades para o sistema e comunidade gamer atual, e só. O conceito artístico do jogo continua, o balanceamento continua, os mapas da campanha continuam, tudo intocado. Enquanto a própria Blizzard definiu fazer o StarCraft: Remastered como “Tem que ser igual a colocar os óculos”.

Ou seja, um tapa na qualidade visual do jogo, e adição de funcionalidades intrínsecas a um RTS da Blizzard nos dias de hoje… Match making, novas configurações widescreen, classificação de ranques competitivos, coisas já esperadas de qualquer jogo competitivo nos dias de hoje.

Algo que evita a Blizzard de abordar Warcraft III desta forma é o fato que o jogo já têm as funcionalidades intrínsecas a um jogo competitivo dos dias atuais: ele já têm match making, ele já têm configurações widescreen, e ranks também.

Sendo assim, o Reforged, por sua vez decide ser mais sério em termos do que ele está trazendo para balança, em que basicamente todos os elementos que definem Warcraft III como produto são modificados, desde o básico dos gráficos, até a continuação do desenvolvimento de balanceamento.

No futuro irei comentar acerca de cada uma das funcionalidades a serem atualizadas no Warcraft III: Reforged que o diferenciam de um mero Remaster. Até lá!